sexta-feira , 25 maio 2018
Capa » Palestras » A Nova Era
A Nova Era

A Nova Era

PRECE INICIAL
Jesus amigo, Mestre de todas as horas, mais uma vez estamos aqui reunidos em Teu nome e queremos pedir-te que nos abençoe e nos ampare nos estudos de hoje.

Que todos os companheiros, participantes, sejam amparados e fortalecidos em suas necessidades e que todos nós sejamos envolvidos e inspirados pelo Seu Amor Mestre Jesus.

Que em Teu nome, em nome da espiritualidade amiga que coordena esta tarefa, mas sobretudo em nome de Deus, iniciamos mais um Estudo do Evangelho.

Esteja conosco hoje e sempre.
Que assim seja!

LEITURA DO EVANGELHO
A Nova Era – Um Espírito Israelita – Mulhouse, 1861
9 – Deus é único, e Moisés o Espírito que Deus enviou com a missão de fazê-lo conhecer, não somente pelos hebreus, mas também pelos povos pagãos. O povo hebreu foi o instrumento de que Deus se serviu para fazer sua revelação, através de Moisés e dos Profetas, e as vicissitudes da vida desse povo foram feitas para chocar os homens e arrancar-lhes dos olhos o véu que lhes ocultava a divindade.

Os mandamentos de Deus, dados por Moisés, trazem o germe da mais ampla moral cristã. Os comentários da Bíblia reduziam-lhes o sentido, porque, postos em ação em toda a sua pureza, não seriam então compreendidos. Mas os Dez Mandamentos de Deus nem por isso deixaram de ser o brilhante frontispício da obra, como um farol que devia iluminar para a humanidade o caminho a percorrer.

A moral ensinada por Moisés era apropriada ao estado de adiantamento em que se encontravam os povos chamados à regeneração. E esses povos, semisselvagens quanto ao aperfeiçoamento espiritual, não teriam compreendido a adoração de Deus sem os holocaustos ou sacrifícios, nem que se pudesse perdoar a um inimigo. Sua inteligência, notável no tocante às coisas materiais, e mesmo em relação às artes e às ciências, estava muito atrasada em moralidade, e eles não se submeteriam ao domínio de uma religião inteiramente espiritual. Necessitavam de uma representação semi-material, como a que então lhes oferecia a religião hebraica. Os sacrifícios, pois, lhes falavam aos sentidos, enquanto a ideia de Deus lhes falava ao espírito.

O Cristo foi o iniciador da mais pura moral, a mais sublime: a moral evangélica, cristã, que deve renovar o mundo, aproximar os homens e torná-los fraternos; que deve fazer jorrar de todos os corações humanos a caridade e o amor do próximo, e criar entre todos os homens uma solidariedade comum. Uma moral, enfim, que deve transformar a Terra, fazê-la morada de Espíritos superiores aos que hoje a habitam. É a lei do progresso, a que a natureza está sujeita, que se cumpre, e o Espiritismo é a alavanca de que Deus se serve para elevar a humanidade.

São chegados os tempos em que as ideias morais devem desenvolver-se, para que se realizem os progressos que estão nos desígnios de Deus. Elas devem seguir o mesmo roteiro que as ideias de liberdade seguiram, como suas precursoras. Mas não se pense que esse desenvolvimento se fará sem lutas. Não, porque elas necessitam, para chegar ao amadurecimento, de agitações e discussões, a fim de atraírem a atenção das massas. Uma vez despertada a atenção, a beleza e a santidade da moral tocarão os Espíritos, e eles se dedicarão a uma ciência que lhes traz a chave da vida futura e lhes abre a porta da felicidade eterna. Foi Moisés quem abriu o caminho; Jesus continuou a obra; o Espiritismo a concluirá. (FÉNELON Poitiers, 1861)

VIBRAÇÕES
Com os pensamentos elevados, vamos à prática da caridade.

Vamos deixar fluir nossos sentimentos mais puros…
Vamos vibrar por nossa Mãe Terra, por todos os povos, por todos aqueles que se encontrem num leito de dor, seja em hospitais ou em seus lares. Vibremos pelo amparo aos pobres, idosos e crianças abandonados, pelo desenvolvimento espiritual da juventude e das crianças, por nossa Casa Espírita, por seus dirigentes, assistidos, coordenadores e trabalhadores voluntários.
Vibremos por nossos familiares e amigos, por nossos supostos inimigos encarnados e desencarnados, por nossos lares e por todos aqueles que convivem conosco.
Rogamos finalmente, por nós mesmos, para que possamos encontrar dentro de nós o verdadeiro amor e assim, perdoarmos a todos os que supomos ter nos ofendido de alguma forma.

Que Jesus esteja sempre conosco.

Que assim seja.

PRECE FINAL

Jesus amigo, nesse momento em que vamos encerrando mais um encontro de corações através do meio virtual, elevamos nossos pensamentos e nossos sentimentos a Ti, querido amigo, com muita gratidão em nossos corações.

Pedimos Mestre que nossas águas sejam fluidificadas e aqueles que dela beberem recebam o remédio salutar para suas dores, físicas ou espirituais.

E assim, agradecidos por esses momentos de estudo e reflexão, rogamos a Ti Mestre Amado que nos auxilie a sermos cada dia melhores do que fomos ontem e que possamos retribuir tudo que temos recebido, contribuindo com o trabalho na tua seara de Amor e Luz.

Que assim seja.
Pai Nosso, que estais nos céu…

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Required fields are marked *

*

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>